<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d11649652\x26blogName\x3d::Medievas::\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://medievas.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://medievas.blogspot.com/\x26vt\x3d5012197479089928805', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

30.
sexta-feira, junho 08, 2007

::Percebi você ao olhar pra mim::

E eram olhos arrependidos do tempo perdido. Que não podiam esperar um segundo sem tua imagem. Porque o que foi vivido sugou tudo, tudo foi consumido. E a necessidade crescente materializada te estende a mão. Te espera, para que mostres o que será rotina. Um dia-a-dia vulgar, de flores na mesa do café da manhã e garrafa de vinho tinto no jantar. Ah! Dentro de mim vi teus olhos. Espero que eles olhem pra mim, por mim. Olhar para nós dois.



29.

::Listinha::

Lembrando que isso aqui é um blog, e blog não sobrevive sem manias estranhas de blogueiros, aqui vai uma famigerada lista, mas essa eu até achei bem criativazinha...


Se eu fosse uma música, eu seria... cantada pela Janis Joplin
Se eu fosse um mês, eu seria... fevereiro- Todo carnaval tem seu fim
Se eu fosse um dia da semana, eu seria... Um dia de feira transformado em dia de farra
Se eu fosse uma hora do dia, eu seria... madrugada
Se eu fosse um planeta, eu seria... Vênus
Se eu fosse uma direção, eu seria... Nordeste, rs
Se eu fosse um móvel, eu seria... uma escrivaninha!
Se eu fosse um esporte, eu seria... ginástica artística
Se eu fosse um divertimento, eu seria... um blog
Se eu fosse um momento, eu seria...
a dor do parto
Se eu fosse um líquido, eu seria... um vinho doce
Se eu fosse uma pedra preciosa, eu seria... uma turquesa
Se eu fosse uma árvore, eu seria... uma árvore única, solitária
Se eu fosse uma flor, eu seria...
uma flor silvestre
Se eu fosse um instrumento musical, eu seria... o teclado do Ray Manzarek
Se eu fosse uma cor, eu seria... vermelho
Se eu fosse um sentimento, eu seria... o prazer
Se eu fosse um tempero, eu seria.. alho!
Se eu fosse um animal, eu seria... vaca – parideira e leiteira
Se eu fosse uma fruta, eu seria... abacaxi
Se eu fosse um elemento, eu seria... água
Se eu fosse um livro, eu seria... um livro da Clarah Averbuck
Se eu fosse um personagem, eu seria... a Druuna
Se eu fosse uma comida, eu seria... um queijo
Se eu fosse um lugar, eu seria... uma ponte do Recife
Se eu fosse um objeto, eu seria.. uma máquina de escrever
Se eu fosse um filme, eu seria... Hair
Se eu fosse um gesto, eu seria... um toque.



28.
domingo, junho 03, 2007

::Musa::

E se agora já te vejo com outros olhos; se já te quero mais que tudo; se nos teus olhos já perdi a minha alma, como poderei te esquecer?

Toco seu corpo e usufruo de teu sabor e adivinho seu nome.

Ele fica marcado em minha mente como em brasa, como a brasa que forma teus cabelos.

E que contraste com tua pele clara, com tuas formas arredondadas de musa, de musa minha que és agora.

É tão tântrico o meu gostar por ti, tão ingênuo e tênue, que deixo teu nome escapar pela minha boca para nunca mais voltar.

E livre, você segue o seu caminho.

---***---***---

Textinho de 1998.



27.
sexta-feira, junho 01, 2007

:: Da tua Clódia::

Quando você olhar para mim,
Cuide do que vai dizer.
Sou uma menina cruel
Exilo corações em meus dedos
E sou do outro muito pouco,
Porque me perco em um.
Mas sempre é possível
Arrancar de mim um sorriso
Entre nuvens, entre odores,
Entre aspas de insônia corriqueira.
Peço que não desejes mais,
Pois adivinho inconstância.
Mas penso em ti às vezes
E então sou toda tua,
Mesmo que pelo avesso.

---***---***---

Esse ia ser dedicado a alguém, mas, pé no chão, esse texto vale para muitos. Então fica assim, dedico a todos os catulos soltos no mundo. E quem iria recebê-lo, que por ler já se reconheceu interlocutor, sinta-se ofertado.



<body> </body>